CATEGORIA PROJETOS

logo atencao 
ATENÇÃO !
ALGUNS PROJETOS REALIZADOS PELO INSTITUTO ECOBRASIL NÃO ESTÃO DIVULGADOS POR CLÁUSULA CONTRATUAL DE SIGILO.

PARQUE DO MANGUE, Paraty (2017)

logo Parque do Mangue fundoWEB  logo EcoBrasil 300x120px

Promoção     Condomínio Pedra Grande do Itu
Parceiros Instituto EcoBrasil
EcoBrasil Roberto M.F. Mourão, coordenador

 

TRILHAS E MIRANTES DO FORTE DEFENSOR PERPÉTUO DE PARATY, Paraty (2014-2015)

logo forte defensor perpetuo verde  logo FRM  logo IBRAM  logo EcoBrasil 300x120px

Promoção     Fundação Roberto Marinho (FRM)
Parceiros Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM)
  Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN)
Apoio Forte Defensor Perpétuo, Paraty
EcoBrasil Roberto M.F. Mourão, coordenador

ANÁLISE DE IMPACTOS DE CRUZEIROS DE MARÍTIMOS, Ilha Grande, Angra dos Reis (2009-2010)

logo EcoBrasil 300x120px  cruzeiros logo codig

Promoção Instituto EcoBrasil
Parceria Comitê de Defesa da Ilha Grande (Codig)
Analista  Roberto M.F Mourão, consultor

CENTRE POUR FORMACION EN HOTELLERIE ET ECOTOURISME, Côte des Arcadins, Haiti (2011-2014)

logo VIVARIO  logo CRCA haiti  Logo BuildAid 310x250px  Logo MinTUR HAITI 230x150px  logo EcoBrasil 300x120px

Promoção     Viva Rio, Brasil
Parceria BuildAid, Noruega
  Ouanga Bay Beach Hotel, Haiti
  Conseil Régional Côte des Arcadins, Haiti
  Ministère du Tourisme et des Industries Créatives du Haïti, Haiti
  Mission des Nations Unies pour la Stabilisation en Haïti (Minustah, ONU)
Projeto Instituto EcoBrasil, Brasil
Coordenador Roberto M.F Mourão, consultor
AVALIAÇÃO DO ROTEIRO DO SURFE NA POROROCA, RIO ARAGUARI (Amapá, 2005)
logo SEBRAE  logo EcoBrasil 300x120px
Promoção Sebrae Nacional
Parceria Sebrae Amapá
Execução Instituto EcoBrasil
  Ariane Janér, consultora
  Roberto M.F Mourão, consultor

EXCELÊNCIA EM TURISMO: Aprendendo com as Melhores Experiências Internacionais (2004-2005)

Logo EMBRATUR Ministerio Tur 2003 2x6cm  logo SEBRAE  logo EcoBrasil 300x120px

Promoção Empresa Brasileira de Turismo (Embratur)
Parceria Sebrae Nacional
Idealização Instituto EcoBrasil
  Roberto M.F Mourão, consultor

PROGRAMA DE MELHORES PRÁTICAS PARA O ECOTURISMO (Programa MPE) (2000-2003)

logo programa mpe com titulos  logo funbio programa mpe  logo EcoBrasil 300x120px

Promoção Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO) (organização promotora)
Parceiros Banco da Amazônia (BASA)
  Empresa Brasileira de Turismo (Embratur)
  Financiadora Nacional de Estudos e Projetos (FINEP)
  Ministério do Meio Ambiente (MMA)
Apoio Reserva Natural da Vale do Rio Doce, Linhares, ES
  Varig Linhas Aéreas
  Wöllner Comércio de Confecções
EcoBrasil Roberto M.F. Mourão, coordenador
  Ariane Janér, consultora
  Marcos Martins Borges, coordenador

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE ECOTURISMO EM RESERVAS EXTRATIVISTAS (Resex) (1998)

logo cnpt ibama  logo IBAMA  logo SEBRAE  logo grupo nativa  logo EcoBrasil 300x120px

Em parceria com o Grupo Nativa, Goiania, GO

Promoção

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA)

  Centro Nacional para o Desenvolvimento das Populações Tradicionais (CNPT)
Apoio Ministério do Meio Ambiente (MMA) 
  Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG-7)
  Secretaria de Coordenação da Amazônia (SCA-MMA)
  Sebrae Amapá
EcoBrasil Marcos Martins Borges, coordenador
  Roberto M.F Mourão, consultor

    

PROGRAMA-PILOTO DE ECOTURISMO EM TERRAS INDÍGENAS (1997)

 

RIO-92 CATÁLOGO DE TURISMO ESPECIALIZADO ABAV-EMBRATUR-EXPEDITOURS (1992)

Rio 92 RIO 92  logo ABAV  Logo EMBRATURMinTur2003  Logo EXPEDITOURS 

Promoção      Associação Brasileira de Agências de Turismo (Abav)
  Instituto Brasileiro do Turismo (Embratur)  
Apoio Editora Ediouro, Rio 
Execução  Expeditours, The Natural Way to Discover Brazil
  Roberto M.F. Mourão, coordenador, EcoBrasil

DIRETRIZES DA POLÍTICA NACIONAL DE ECOTURISMO (1994)

diretrizes 00 capa

Promoção     Ministério do Meio Ambiente (MMA)
   - Secretaria da Amazônia Legal
   - Ministério da Indústria, Comércio e Turismo (MICT)
 Parceria Empresa Brasileira de Turismo (Embratur)

 

CCT Trindade Juatinga vilas comunidades 
Proposta de Ordenamento Turístico da Região Trindade-Juatinga
Vilas de Trindade e Oratório - Cond. Laranjeiras - Praias do Sono e Ponta Negra

 

Capacidade de Carga Turística das Praias da Vila de Trindade, Paraty

Esse trabalho trata-se de uma proposta de Ordenamento Turístico, conforme critérios tecnicos preliminares baseados em trabalho realzado em 2017.

Para sua validação os critérios adotados, baseiados em decisão do grupo de trabalho, têm de ser submetido e aceito por grupo de trabalho formado por gestores ambientais e administrativos, grupos de interesse e atores locais (caiçaras, pescadores, moradores, empresários e fornecedores de serviços do setor turístico).

CCT TJ mapa praias trindade mini

CCT TJ CCT praias trindade tabela

CCT TJ CCT praia brava

CCT TJ CCT praia do cepilho

CCT TJ CCT praia de fora

CCT TJ CCT praia dos ranchos

CCT TJ CCT praia meio

CCT TJ CCT praia caxadaco

 

   

Proposta de Ordenamento Turístico da Região Trindade-Juatinga  

Observação
As praias da Juatinga - Condomínio Laranjeiras, Sono, Antigos, Antiguinhos e Ponta Negra ainda não tem seus Números Balizadores da Visitação (NBVs) definidos. 


Conceitos Relacionados

Capacidade de Carga Turística (CCT)

camping barraca kombiCampings

 

 

 

CCT Trindade Juatinga vilas comunidades 
Proposta de Ordenamento Turístico da Região Trindade-Juatinga
Vilas de Trindade e Oratório - Cond. Laranjeiras - Praias do Sono e Ponta Negra

 

Vila de Trindade, Paraty

A Vila de Trindade, localizada 24 km de Paraty, é um distrito do município de Paraty, no estado do Rio de Janeiro. Originou-se basicamente por uma vila de pescadores, sendo hoje um importante polo turístico.

O acesso é pela Rio-Santos, na altura do Km 6, sentido São Paulo-Paraty, é a primeira praia do Rio de janeiro (divisa São Paulo-Rio de janeiro), a estrada para chegar até lá é íngreme, mas asfaltada.

CCT TJ mapa praias trindade miniCom belíssimas praias, cachoeiras e até uma piscina natural em pleno mar, o vilarejo é destino certo dos turistas, que encontram aqui um lugar charmoso, com muito verde, mas ao mesmo tempo dotado de uma certa infraestrutura, com muitas pousadas, campings, bares e restaurantes.

O comércio local é exercido em sua maioria pelos caiçaras, nativos da região. É constituído basicamente de artesanato e restaurantes com comidas típicas.

Trindade já foi habitada por índios, piratas e portugueses.

Na década de 1970, virou abrigo e símbolo de hippies. Na mesma época, a empresa Agência de Desarollo de Latino América, multinacional com sede em Luxemburgo, invadiu a vila de pescadores com o objetivo de expulsar os moradores e criar na vila um balneário com vistas ao turismo e um condomínio de luxo. 

A empresa era na época a Brascan, hoje a Brookfield Asset Management, que também construiu o luxuoso Condomínio Laranjeiras, a 5 km da Vila de Trindade. Posteriormente a empresa Cobrasinco fez acordo com os trindadeiros e escriturou suas propriedades na área por eles escolhida e a paz voltou a reinar. 

Nos anos 80, aventureiros vinham de toda parte para acampar nas praias paradisíacas. Desde 1990, grande parte da procura por Trindade vem do turismo de sol e mar.


Entre as praias mais importantes em Trindade encontram-se a Praia do Cepilho, onde o mar é propício a prática do surfe, a Praia de Fora, Praia do Rancho, onde os turistas podem se banhar calmamente, praticar mergulho e desfrutar ainda de bares e restaurantes, a Praia do Cachadaço (ou Caixa d'Aço) e a Praia do Meio mais utilizada para o turismo.

 

   

Proposta de Ordenamento Turístico da Região Trindade-Juatinga  

Observação
As praias da Juatinga - Condomínio Laranjeiras, Sono, Antigos, Antiguinhos e Ponta Negra ainda não tem seus Números Balizadores da Visitação (NBVs) definidos. 


Conceitos Relacionados

Capacidade de Carga Turística (CCT)

camping barraca kombiCampings

 

 


logo prefeitura paraty     logo Convention horizontal TRANSP 

Projeto de Ordenamento Turístico do Poço do Inglês
Rio Pedra Branca, Paraty

Informações e fotos de 2016, necessário atualizar.
Autoria: Roberto M.F. Mourão, ALBATROZ Planejamento

 

poco ingles estimativa custos 2016 resumo


Observação
: para guarda-parque e/ou monitor ambiental foram considerados 2 profissionais, com valor anual com 12 meses + 13º salário.

 

Projeto de Ordenamento Turístico do Poço do Inglês, Rio Pedra Branca, Paraty


Outros Assuntos Paraty / PróParaty

Assuntos Correlatos


logo prefeitura paraty     logo Convention horizontal TRANSP 

Projeto de Ordenamento Turístico do Poço do Inglês
Rio Pedra Branca, Paraty

Informações e fotos de 2016, necessário atualizar.
Autoria: Roberto M.F. Mourão, ALBATROZ Planejamento

PocoIngles mapa localizacaoMapa-croqui de localização do Poço do Inglês, Rio Pedra Branca, Paraty.


Atenção

Essas fotos são de vistoria técnica realizada em 2016.
No início de 2018 fizemos uma breve visita com servidores da Secretaria de Meio Ambiente e as condições pioraram bastante, a ponto de ser necessário, em certos trechos, caminhar dentro do canal adutor.


Fotos de Visita Técnica de Inspeção, 2016
© Roberto M.F. Mourão.

poco ingles 01 estacionamento estrada pedra brancaEstacionamento ao longo da Estrada da Pedra Branca com capacidade de 5 a 6 veículos.
Necessário expandir para comportar pelo menos 10 carros ou jeeps e 1 a 2 vans.

poco ingles 02 estacionamento jeeps estradaEstacionamento de jeeps improvisado na Estrada da Pedra Branca.

poco ingles 03 acesso junto estrada placaAcesso único ao Poço do Inglês na Estrada da Pedra Branca. Notar placa rudimentar.

poco ingles 04 placa estradaPlaca de sinalização do Poço do Inglês na Estrada da Pedra Branca.

poco ingles 06 trilha canal sem bordaVista parcial da trilha de acssso ao poço, com o canal d'água que segue para a Fazenda Murycana.

poco ingles 07 trilha canalVista parcial da trilha de acssso ao poço, com o canal d'água que segue para a Fazenda Murycana.
Notar ausencia de serrapilheira ao longo da trilha e início de impacto de pisoteio.

poco ingles 07 trilha impactada com raizes expostasTrecho da trilha de acesso ao poço com alto impacto de pisoteio com raizes expostas.

poco ingles 12 raizes expostasOutro trecho da trilha com raízes expostas. 

poco ingles 09 trilha vistaTrecho da trilha de acesso em boas condições, porém com ausência de serrapilheira.

poco ingles 10 trilha passagem sob adutora aguas paratyJPGPassagem sob antiga adutora de água.

poco ingles 13 pedra degrausPassagem estreita, com degraus de pedra - necessárias melhorarias.

poco ingles 14 pedra degraus vista superiorPonte danificada com tábuas para melhorar a segurança na travessia. 

poco ingles 15 passagem sobre tabuas canalPinguela improvisada passando por cima de vazamento lateral de borda erodida do canal. 

poco ingles 17 passagem sobre tabuas detalheDetalhe da pinguela improvisada passando por cima de vazamento lateral de borda erodida do canal. 

poco ingles 19 pinguela improvisada sobre ramalTrecho de pinguela e trilha em péssimo estado de conservação.

poco ingles 20 tabuado pinguelaPassagem sobre vazamento do canal, com pinguela improvisada - trecho muito perigoso.

poco ingles 21 pinguela pedraPonte danificada com reparos em pranchas de madeira.

poco ingles 23 canal travessia Pinguela para travessia do canal, sem guarda-corpo. 

poco ingles 24 canal sem muretaTrecho da trilha de acesso ao poço com caimento lateral, propenso a erosão.

poco ingles 25 canalExcelente qualidade da água do canal adutor da Fazenda Murycana - límpida e cristalina.

poco ingles 26 eclusa enferrujadaEclusa de controle da água do canal adutor da Fazenda Murycana. Necessita reparos.

poco ingles 28 vazamento canal adutorOutro trecho com erosão e vazamento lateral do canal adutor.

poco ingles 29 vazamento canalTrecho com vazamento lateral do canal adutor, com sacos de areia para estancar o fluxo d'água. 

poco ingles 30 poco meio

poco ingles 35 grupo visitantes1Turistas no poço - sem nenhuma infraestrutura turística.
Necessário construir pelo deck de acesso ao poço, bancos e mesa para lanches.

poco ingles 36 turista pedra subindoTurista escalando a pedra para saltar no poço. É necessário que se proiba essa prática.

poco ingles 37 turista pedra pularTurista a ponto de saltar da pedra no poço. Risco de acidente com possibilidade de paralisia ou morte.

poco ingles 38 lixo esteira Esteira utilizada como mesa por grupo de turistas - lixo não recolhido após o picnic.

poco ingles 39 lixo esteira detalheEsteira utilizada como mesa por grupo de turistas, com lixo não recolhido após o uso - detalhe.

poco ingles 40 lixo placa nao joguePlaca improvisada solicitando que as pessoas recolham e descartem o lixo para local apropriado.

poco ingles 41 lixo estradaLixo retirado do poço colocado junto à entrada, na Estrada da Pedra Branca. 

poco ingles 42 canal manilha travessia estradaCanal adutor de água para a Fazenda Murycana, sob a Estrada da Pedra Branca.

Atenção
Essas fotos são de vistoria técnica realizada em 2016.
No início de 2018 fizemos uma breve visita com servidores da Secretaria de Meio Ambiente e as condições pioraram bastante, a ponto de ser necessário, em certos trechos, caminhar dentro do canal adutor.

 

 

Projeto de Ordenamento Turístico do Poço do Inglês, Rio Pedra Branca, Paraty


Outros Assuntos Paraty / PróParaty

Assuntos Correlatos


logo prefeitura paraty     logo Convention horizontal TRANSP 

Projeto de Odenamento Turístico do Poço do Inglês
Rio Pedra Branca, Paraty

Informações e fotos de 2016, necessário atualizar.
Autoria: Roberto M.F. Mourão, ALBATROZ Planejamento

Subsídios para Elaboração de Proposta de Ordenamento Turístico
Proposta

1. Objetivo Geral

Estabelecer parceria entre as partes com a intenção de promover ao Ordenamento Ambiental e Turístico do Espaço “Poço do Inglês”, localizado às margens do Rio Pedra Branca.

2. Intenções

  • 2.1. Constituir Fundo de Parceria para captar e gerir recursos para financiamento do projeto e implementação do ordenamento, buscando por seus meios e contatos parceiros-financiadores, na iniciativa privada, complementando recursos públicos, se disponíveis, para a empreitada;
  • 2.2. Formar Grupo de Trabalho para analisar e desenvolver proposta técnica-financeira de forma a permitir um ordenamento de espaço turístico e socioambiental adequado, de forma a oferecer lazer e aprendizado para paratienses e visitantes, assim como servir como modelo para outros espaços turísticos afins em Paraty;
  • 2.3. Agregar ao Grupo de Trabalho, na condição de Colaboradores-interessados, as principais organizações que têm interesse direto nesse espaço turístico e que muito têm a colaborar em sua operação turística e ambientalmente sustentáveis:
    • Associação de Guias de Turismo e Turismólogos de Paraty (Piratii Turismo)
    • Jipeiros Associados de Paraty (JAP)

3. Considerações 

Tendo em vista:

  • 3.1. A necessidade de manter a integridade ambiental da Área de Proteção Permanente ao longo do Rio Pedra Branca, propriedade de Prefeitura Municipal de Paraty. A obrigação de manter Áreas de Proteção Permanentes e Reservas Legais com cobertura vegetal nativa é obrigação real, propter rem, ou seja, uma obrigação que se prende ao titular do direito real, seja ele quem for, em virtude, tão-somente, de sua condição de proprietário. Eventual propriedade de móvel previamente desmatado não é causa de exclusão de responsabilidade ambiental do possuidor;
  • 3.2. Manter a qualidade da água do Rio Pedra Branca, excedente proveniente da barragem de captação da Estação de Tratamento de Água, à montante, de forma que o desague se faça ao Rio Perequê-açu com qualidade ambientalmente adequada;
  • 3.3. Evitar acidentes a visitantes, uma vez que a falta de fiscalização em propriedades privadas ou públicas que trabalham com exploração turística de cachoeiras e a estrutura precária do município, trazem riscos para quem se aventura sem a precaução necessária.
  • 3.4. Que o espaço atualmente se encontra em Situação de Risco, uma vez que o acesso se faz por uma trilha precária, em péssimo estado de conservação, com trechos deteriorados pela total ausência de manutenção, onde são observados danos consequentes a uso acima da capacidade de carga turística, como p.ex. raízes expostas, excessiva compactação, trechos erodidos por pisoteio ou desbarrancamento, inclusive com vazamento de água do canal adutor. Que o maior agravante do uso do poço resulta da imprudência de visitantes que se penduram de uma corda para balançar e se jogar na água e algum escalam a enorme pedra que bordeia o poço e de lá saltam na água de uma altura aproximada de 18 a 20 metros.
  • 3.5. Necessidade de Manutenção, uma vez que, pelo estado que se pode observar, a trilha não teve manutenção recente, apesar de se ter conhecimento que alguns guias e jipeiros, ocasionalmente, limpavam e mantinham o local, preocupados com a integridade física de seus clientes, assim como oferecer qualidade na experiência aos visitantes. A proposta deverá incluir a definição e monitoramento da capacidade de carga turística, por método adequado, à trilha de acesso e ao poço;
  • 3.6. Necessidade de Segurança por estar o espaço atualmente desguarnecido, sem controle de acesso, havendo registros de ocorrência esporádica de assaltos à mão armada; carecendo que, juntamente com a recuperação e criação um sistema de controle e monitoramento, assim como prever serviços de segurança patrimonial e física de visitantes;
  • 3.7. Necessidade de Instalação de Sanitários, para atender a servidores, operadores e visitantes, em número mínimo de duas unidades, feminino e masculino, com eventual cobrança pelo uso para manutenção e limpeza, construídos próximos do estacionamento, fora do perímetro da área de preservação permanente, observando normas sanitárias adequadas, com instalação de biodigestor e poço de infiltração;
  • 3.8. Necessidade de Contribuição de Uso do Espaço, coletando recursos junto a operadores e visitantes, para ajudar a manutenção do local, com valores diferenciados para excursionistas, turistas e paratienses.


4. Atividades Previstas (proposta)

Como ponto de partida, listamos abaixo as atividades e suas respectivas estimativas de custos, baseadas em análise preliminar realizada em 2016 que necessitam de ser atualizadas por meio de planejamento participativo envolvendo grupos de interesse e atores.  

Deverá sr a primeira atividade do Grupo de Trabalho será analisar, atualizar e complementar as atividades e produtos a seguir relacionados.

  • 4.1. Recuperação da trilha de acesso ao poço, com a construção de pinguelas, passarelas, degraus, guarda-corpos, corrimãos e demais infraestruturas para garantir segurança e conforto aos visitantes do espaço turístico Poço do Inglês;
  • 4.2. Recuperação e adequação da comporta de controle de vazão do canal adutor;
  • 4.3. Recuperação de trechos do talude desmoronado, em técnica adequada, com reposição de material ou com a construção de passarela apoiada em pilotis;
  • 4.4. Limpeza do local e do canal, com reparo dos locais onde ocorrem extravasamento por ocasião de chuvas fortes;
  • 4.5. Criar, Divulgar e Capacitar para o Usos de Regulamentação e Regras Comportamentais para o uso do espaço turístico Poço do Inglês;
  • 4.6. Planejar e Instalar Sistema de Comunicação no estacionamento, ao longo da trilha de acesso e na área do poço, constituído de placas informativas, de advertência e de educação ambiental; em material apropriado para resistir a eventuais danos e às intempéries e maresia;
  • 4.7. Desenvolver, Imprimir e Divulgar Folhetos com informações, advertências e educação ambiental para operadores e usuários: excursionistas, turistas e paratienses;
  • 4.8. Capacitar e Treinar Equipes de Fiscalização e Monitoramento, assim como de operadores turísticos quanto a regulamentação do espaço turístico, com a utilização de planilhas de Monitoramento de Impactos Ambientais e Sociais, semelhantes às sugeridas no Anexo 2;
  • 4.9. Criar, Capacitar e Treinar Corpo de Guardas-parque e/ou de Monitores Ambientais, uniformizados e equipados, para apoiar a gestão do espaço turístico Poço do Inglês.


5. Custeio

Para custeio da gestão, ações e projetos, as partes buscarão recursos com doadores e parceiros-financiadores criando um Fundo de Parceria, retro mencionado. As partes concorrerão para o custeio da parceria na proporção que lhes couber nos trabalhos a serem implementados. Até que hajam recursos disponíveis, cada uma das partes alocará à parceria os custos em que respectivamente incorrerem para a prestação dos serviços que lhes competir prover.

 

 

Projeto de Ordenamento Turístico do Poço do Inglês, Rio Pedra Branca, Paraty


Outros Assuntos Paraty / PróParaty

Assuntos Correlatos