CATEGORIA CONCEITOS

bla bla bla

 

Trilhas logo new

OrganizaçãoRoberto M.F. Mourão (roberto@albatroz.eco.br)
                          Albatroz Planejamento 

 

Estudo de Caso

Trilhas de Longo Percurso

Apallachian Trail / Trilha dos Apalaches 

 

Flora

Click aqui para a lista de espécies da Flora dos Montes Apalaches - iNaturalist.org.

A Flora dos Apalaches é diversa e varia principalmente em resposta à geologia, à latitude, à elevação e à disponibilidade de umidade.

appalachian shuksan cascade washington grass skyNorth Cascades National Park. Shuksan, Whatcom, Washington.


Geo-botanicamente, ela constitue uma província florística da região atlântica norte-americana. Os Appalaches consistem principalmente em árvores de folhas largas decíduas e coníferas de folhas de agulha de folhas perenes, mas também contêm o azevinho americano de folha larga perene (Ilex opaca) e a coníferas de folha de agulha decídua, o matochar ou o larício oriental (Larix laricina) .

appalachian forest trail bikesA conífera dominante ao Norte e da alta altitude é o abeto-vermelho (red spruce, Picea rubens), que cresce do nível do mar próximo a mais de 4.000 pés (1.200 m) acima do nível do mar no norte da New England no sudeste do Canadá. Também cresce para o sul ao longo da crista dos Apalaches até as elevações mais elevadas ao sul, como em North Carolina e no Tennessee. 

appalachian treeNos Appalaches centrais geralmente é confinado acima de 900 m, exceto por alguns vales frios nos quais ele alcança elevações mais baixas. No sul dos Apalaches é restrito a elevações mais elevadas.

Outra espécie é o abeto-preto (black spruce, Picea mariana), que se estende ao norte da América do Norte, é encontrado em altitudes elevadas nos Appalaches do Norte e em pântanos no extremo sul da Pensilvânia.

Os Apalaches também são o lar de outas duas espécies de abeto, o abeto-balsâmico-boreal (Abies balsamea) e o endêmico do sul, o abeto-Fraser (Abies fraseri).

O abeto Fraser é confinado às partes mais altas das Montanhas Apalaches do sul, onde, juntamente com o abeto vermelho, forma um ecossistema frágil conhecido como a floresta dos abetos dos Apalaches do Sul. Abeto-Fraser raramente ocorre abaixo de 5.500 pés (1.700 m), e se torna o tipo de árvore dominante em 1.900 m (2300 pés).

appalachian floresta cabin folhasEm contraste, o abeto balsamo é encontrado do nível do mar próximo à linha da árvore nos Appalaches do norte, mas varia apenas no extremo sul da Virgínia e da Virgínia Ocidental nos Appalachianos centrais, onde geralmente é confinado acima de 1.200 m, exceto em vales frios. Curiosamente, está associado com carvalhos de Virgínia. 

As florestas de carvalho dos Apalaches do Sul e do Centro consistem principalmente em carvalhos pretos, vermelhos, brancos, castanhos e escarlatados do norte (Quercus velutina, Q. rubra, Q. alba, Q. prinus e Q. coccinea).

As florestas mais ricas geralmente em enseadas e em encostas suaves, têm predominantemente carvalhos brancos e do norte, enquanto os locais mais secos são dominados por carvalho castanho ou, às vezes, por carvalho escarlate ou norte. Nos apalaches do norte, os carvalhos, exceto o vermelho branco e o norte, abandonam, enquanto o último se estende o mais distante do norte.

As florestas de carvalho geralmente carecem de diversas pequenas árvores, arbustos e gramídeas.

De acordo com um estudo de 2000, mais de 6,000 espécies de plantas são documentadas nos Apalaches. Os cientistas acreditam que o número real é bem maior.

As montanhas são bem conhecidas por azáleas e rododendros. columbine, que cobrem algumas encostas e a salsaparrilha selvagem cresce em madeiras secas e abertas.

A maioria dessas espécies são os bloomers da primavera e do verão, mas o ferro dourado, o laço da rainha Anne, o pedreiro e aster podem ser encontrados no outono e, ocasionalmente, no início do inverno.

A Fauna e Flora, as paisagens dessas florestas constituem verdadeiros 'cartões postais' que atraem e encantam milhares de visitantes todos os anos aos Apalaches.

 

 

Estudos de Caso - Trilhas de Longo Percurso

Trilha dos Apalaches / Appalachian Trail USA

Para Sobre Mais sobre Trilhas

 

Trilhas logo new

OrganizaçãoRoberto M.F. Mourão (roberto@albatroz.eco.br)
                          Albatroz Planejamento 

 

Estudo de Caso

Trilhas de Longo Percurso

Apallachian Trail / Trilha dos Apalaches 

 

Fauna

Na Trilha dos Apalaches é o lar de milhares de espécies de plantas e animais, incluindo 2.000 espécies raras, ameaçadas ou sensíveis de plantas e animais. 

Para a maioria dos caminhantes, as pragas mais persistentes ao longo da trilha são carrapatos, mosquitos e moscas negras, juntamente com os camundongos que habitam abrigos.


Mamíferos

appalachian Black Bear Cub MomClick aqui para a lista de mamíferos dos Montes Apalaches - iNaturalist.org.

Antes da chegada dos europeus, no século XVI, o território abrigava uma fauna composta por ursos, alces, veados, guaxinins, castores, águias, bisões, etc. Porém, com o avanço da agricultura, da pecuária e das cidades pelo território, a fauna original do país ficou preservada somente em alguns parques nacionais espalhados pelo território e em regiões de difícil acesso, como as Montanhas Rochosas.

O urso-preto-americano (american black bear, Ursus americanus), está entre os maiores animais ao longo da trilha dos Apalaches, mas raramente confronta as pessoas. O urso preto é o maior espécie omnívora que pode ser encontrado e habita todas as regiões dos Apalaches.

Os avistamentos na trilha são incomuns, exceto em certas seções, especialmente o Parque Nacional Shenandoah e porções das seções de Nova Jersey, Nova York, Connecticut e Massachusetts, onde as populações de ursos aumentaram de forma constante desde 1980 e os confrontos são ainda mais raros.

appalachian alce elk machoOutros grandes mamíferos comumente avistados incluem alces, (elk, Cervus canadensis) reintroduzidos nas Montanhas Smoky Montains. O alce, ou wapiti é uma das maiores espécies dentro da família dos cervídeos, Cervidae, no mundo, e um dos maiores mamíferos terrestres da América do Norte e do Leste Asiático.

Ocorrem nas florestas, alimentando-se de gramídias, folhas e casca de árvores. Alces machos têm chifres grandes que são nascem a cada ano. Os machos também se envolvem em comportamentos de acasalamento ritualizados, incluindo posturas e confrontos, uma grande série de vocalizações que estabelecem domínio sobre outros machos e atraem fêmeas.

appalachian castor american beaverEnquanto a maior parte do rebanho do parque - estimado entre 150 e 200 animais - ainda permanece no Cataloochee Valey, no extremo Sudeste do parque, um grupo de cerca de 20 alces se instalou perto do  Oconaluftee Visitors Center, perto de Cherokee, NC, possibilitando avistagens garantidas.

appalachian lince vermelho bobcat Lynx rufusOutras pequenas espécies de mamíferos que habitam ao longo das trilhas e podem ser observados com frequência são castores (beaver, Castor canadensis), esquilos (grey squirrel, Sciurus carolinensis), lince-vermelho ou bobcat (Lynx rufus), duas espécies de raposas, guaxinim, coiote, entre outros.

 

  

Aves dos Apalaches

Click aqui para a lista de aves dos Montes Apalaches - iNaturalist.org.

Com mais de 250 espécies diferentes identificadas, algumas das espécies mais exclusivas incluem fly-catchers enquanto as aves canoras, abundantes em toda parte nessas montanhas.

appalachian Wild TurkeysAves de caça, autorizada nos Estados Unidos, como o peru selvagem (wild-turkey, Meleagris gallopavo)  e galo silvestre (ruffed grouse, Bonasa umbellus) são muito comuns, assim como águias e falcões vagam pelos céus em busca de presas.

appalachian Bald EagleO destaque fica por conta da águia-careca (bald eagle, Haliaeetus leucocephalus, do grego hali "mar", aiētos "águia", leuco "branco", cephalos "cabeça"). Sua distribui inclui a maior parte do Canadá e do Alasca, todos os Estados Unidos e o norte do México.

Encontra-se perto de grandes corpos de águas - rios, lagos, enseadas marinhas, com abundante abastecimento de alimentos e velas árvores para nidificação. A águia-careca é a ave nacional dos Estados Unidos da América, aparecendo no seu selo presidencial. No final do século 20 estava à beira da extinção mas felizmente se recuperou.

Cobras e Serpentes

Click aqui para a lista de répteis dos Montes Apalaches - iNaturalist.org.

appalachian snake copperheadTrês grandes grupos de répteis são encontrados no parque: tartarugas, lagartos e cobras.

Os Apalaches é uma das áreas mais ricas em espécies de salamandras com mais de 70 espécies vivendo na região, muitas delas endêmicas  localizadas em habitats isolados.

Incluem perigosas cobras venenosas, incluindo a cascavel-da-madeira (timber rattlesnake, Crotalus horridus) e uma espécie da família Crotalinae, das jararacas (copperhead, Agkistrodon contortrix) - foto ao lado, que são comuns ao longo da trilha. Ambas as cobras são geralmente encontradas em seções mais secas e mais rochosas da trilha.

 

 

Estudos de Caso - Trilhas de Longo Percurso

Trilha dos Apalaches / Appalachian Trail USA

Para Sobre Mais sobre Trilhas

 

Trilhas logo new

OrganizaçãoRoberto M.F. Mourão (roberto@albatroz.eco.br)
                          Albatroz Planejamento 

 

Estudo de Caso

Trilhas de Longo Percurso

Apallachian Trail / Trilha dos Apalaches 

 

appalachian states mapFatos

  • A Appalachian Trail (AT) ou Trilha dos Apalaches, se estende por mais de 3.500 km ou 2.175 milhas, ao longo da costa leste dos Estados Unidos;

  • É a mais longa e sinalizada trilha do mundo e vai do Estado da Geórgia ao Maine.

  • Ela conecta 14 estados e passa por cumes e vales da Cordilheira dos Apalaches.

  • Muitos trechos da AT estão a poucas horas de carro para milhões de americanos, mas poucos caminharam em toda sua extensão. Todos os anos, milhares de pessoas tentam caminhar por toda a AT. Apenas um em cada quatro é bem-sucedido.

  • O AT é dividido em quatro seções: as Montanhas do Sul, as Montanhas da Virgínia, as Terras Baixas do Atlântico Médio e a Nova Inglaterra.

  • A AT foi proposta pela primeira vez em 1921 por Benton MacKaye, ex-guarda florestal e editor de jornais. Ele esperava que a trilha fosse uma maneira das pessoas escaparem da vida da cidade e se reconectar com a natureza selvagem.

  • appalachian hiker katahdin beerFoi em grande parte o trabalho de voluntários que encontraram rotas, mapas feitos e clubes de trilhas locais estabelecidos e não foi completada como um caminho contínuo até 1937.

  • Mesmo hoje, a AT é mantida por milhares de voluntários que limpam a trilha, as árvores caídas, retocam os marcadores de trilha e alertam os caminhantes de perigos.

  • Alguém que pretende caminhar toda a trilha de uma só vez é conhecido como um caminhante "2,000-miller". Os "day-hikers" ou "section-hikers"  fazem pequenos trechos da trilha. Todos os anos, cerca de 2.000 caminhantes tentam enfrentar o comprimento total da AT. Cerca de 2 a 3 milhões de pessoas caminham por uma parte da trilha. 

  • Existem dois tipos de caminhantes: Northbound (Georgia to Maine) e Southbound (Maine para a Geórgia). A maioria dos caminhantes caminham para o norte, começando na Geórgia em março ou abril e terminando em Maine em setembro.

  • appalachian hike travel casalMenos de mil pessoas completaram a AT para o sul, em parte porque é uma caminhada mais difícil que começa com o monte Katahdin, a escalada mais difícil de todo o caminho. Se você começar nas South Mountains, a trilha está no topo da Springer Mountain na Geórgia. A trilha é de 10 milhas da estrada de acesso mais próxima. Uma equipe de voluntários ajuda a transportar caminhantes para a linha de partida. Cerca de 15% dos caminhantes jogam a toalha depois de alguns dias de caminhada pela Geórgia pela necessidade de carregar muita carga.

  • A maioria dos caminhantes cobre cerca de 15 milhas (24 km) por dia, levando seis meses para completar toda a trilha. Alguns carregam alimentos com baixa calorias como barrinhas de cereal para manter a força e os mais ativos podem queimar até 6.000 calorias por dia.

  • Appalachian sign on treeMuitos caminhantes pensam que vão ler à noite, mas acabam muito cansados, então muitos livros são descartados.

  • Todos os anos, só uma loja vende 4,5 toneladas de equipamentos, ou aproximadamente 4.5 libras (20 Kg) por caminhante.

  • Mais de 70 milhas de trilhas passam através do Great Smoky Mountains National Park, o parque nacional mais visitado da América do Norte, onde os mochileiros atravessam a montanha mais alta da trilha, o Clingmans Dome, a 6.643 pés (2.024 m), em uma caminhada íngreme de meia milha até o topo da Clingmans Dome, mas uma vez no topo, a torre de observação oferece incríveis vistas de 360 graus do parque.

  • appalachian tarp pitch New HampshireEm seguida, os caminhantes irão enfrentar as Montanhas de Virgínia que, comparado com as Montanhas do Sul, este trecho da trilha é relativamente plano e os caminhantes podem cobrir 20 a 25 milhas (32 a 42 km) por dia.

  • Depois de um mês os mochileiros chegara à cidade de Damasco, Virgínia, na fronteira sul, onde podem parar para comer, se lavar, dormir em uma cama de verdade e estocar em suprimentos. Mais de um quarto das trilhas AT (cerca de 550 milhas) são através da Virgínia. Movendo-se para o norte, 105 milhas desta seção atravessam o coração do Shenandoah National Park.

  • A AT é o lar de milhares de plantas e animais diferentes. O urso preto é um dos maiores animais que vivem ao longo da trilha. Eles são especialmente comuns no Parque Nacional Shenandoah N.P. As câmeras escondidas ou armadilhas fotográficas (camera traps) capturam mais de 5.000 imagens de criaturas itinerantes perto da AT, incluindo linces, raposas, cervo e guaxinins.

  • appalachian trail backpackingAs cobras venenosas, incluindo a cascavel e a jararaca-cabeça-de-cobre, são comuns ao longo de seções mais rochosas da trilha.

  • A elevação mais baixa da caminhada vem quando a AT cruza o Rio Hudson, na Bear Mountain Bridge. As Terras Baixas do Atlântico Médio correm para a quarta e última seção da AT: o estado de New England.

  • Através de New Hampshire e Maine, o caminho é acidentado, íngreme e escorregadio. Os 281 quilômetros de trilha do Maine são alguns dos mais árduos e remotos para caminhar em todos os 14 estados.

     

appalachian triple crown outlookO McAfee Knob, um mirante natural, localizado na Catawba Mountain, Virgínia.
É nomeado para um colonizador escocês-irlandês do século XVIII.
É considerado um dos pontos mais cênicos ao longo da Trilha dos Apalaches.
A vista oferece panorâmica do Catawba Valley, 3.400 metros abaixo.
 

 

Estudos de Caso - Trilhas de Longo Percurso

Trilha dos Apalaches / Appalachian Trail USA

Para Sobre Mais sobre Trilhas

 

 

 

 

 

 

 

Trilhas logo new

OrganizaçãoRoberto M.F. Mourão (roberto@albatroz.eco.br)
                          Albatroz Planejamento 


Estudo de Caso

Trilhas de Longo Percurso

Appalachian Trail / Trilha Apalaches 

MAPA DA TRILHA APALACHES DO MAINE À GEORGIA

Click aqui ou no mapa para voltar à página anterior.

appalachian trail map 1872x7200px web

 

Estudos de Caso - Trilhas de Longo Percurso

Trilha dos Apalaches / Appalachian Trail USA

Para Sobre Mais sobre Trilhas

 

 

Trilhas logo new

OrganizaçãoRoberto M.F. Mourão (roberto@albatroz.eco.br)
                          Albatroz Planejamento 

 

Estudo de Caso

Trilhas de Longo Percurso

Apallachian Trail / Trilha dos Apalaches 


appalachian trail map 555x1192pxappalachian triangle logoA Trilha Nacional Cênica dos Appalachian (The Apallachian Nacional Cenic Trail), conhecida como Trilha Apallaches (Apallachian Trail ou simplesmente A.T.) é uma trilha de caminhada que se extende pelo Leste dos Estados Unidos, entre a Springer Mountain no Estado da Geórgia e Katahdin Mountain, no Estado do Maine.

Click aqui ou no mapa ao lado para ver mapa detalhado.

A trilha tem extensão de cerca de 2.200 milhas (3.500 km), embora o comprimento exato mude ao longo do tempo à medida que trechos são modificados. A organização que a administra - Appalachian Trail Conservancy, afirma que é a trilha de caminhadas mais longa do mundo. Mais de 2 milhões de pessoas dizem ter feito pelo menos um dia de caminhada na trilha a cada ano.

É mantida por 31 clubes de trilhas e parcerias múltiplas, e gerenciadas pelo National Park ServiceUnited States Forest Service e a organização sem fins lucrativos Appalachian Trail Conservancy. A maioria da trilha está em áreas florestadas ou selvagens, embora algumas porções atravessem cidades, estradas e fazendas.

appalachian trail placa trekkerEla passa por 14 estados: Geórgia, Carolina do Norte, Tennessee, Virgínia, West Virginia, Maryland, Pensilvânia, Nova Jersey, Nova York, Connecticut, Massachusetts, Vermont, New Hampshire e Maine.

Foram propostas outras extensões no Estados Unidos pelo extremo sul da Cordlheira Apalaches, no Estado do Alabama, continuando para o Sul na Flórida, criando o que é conhecido como Eastern Continental Trail.

Caminhantes tentam percorrer a trilha em sua totalidade em uma única temporada - 1.110 caminhantes percorreram suas 2.000 milhas em 2016 (2000-milers). Muitos livros, memórias, sites e organizações de fãs são dedicados a essa aventura.

Uma extensão conhecida como International Appalachian Trail continua a Nordeste, atravessando o Estado do Maine e seguindo para o Canadá até Newfoundland, com secções continuando na Greenland, na Escandinávia, diversos países europeus e, atravessando para o continente africano no Marrocos.

Veja os trechos fora dos Estados Unidos - Europa e África.


História

apalaches Benton Mackaye Myron AveryA ideia da Trilha dos Apalaches surgiu em 1921 e foi completada em 1937, após mais de uma década de trabalho, embora as melhorias e as mudanças continuem. Foi concebida por Benton MacKaye (na foto com Myron Avery), um madereiro que escreveu seu plano original denominado "An Appalachian Trail, A Project in Regional Planning". A idéia de MacKaye detalha uma grande trilha que iria conectar fazendas, parques e florestas para uso dos habitantes dessa extensa cordilheira.

apalaches poste sinalizadoEm 1922, por sugestão do Major William A. Welch, diretor da Palisades Interstate Park Commission, sua idéia foi divulgada por Raymond H. Torrey com uma história no New York Evening Post sob uma manchete de página inteira intitulada "A Great Trail from Maine to Georgia!" A idéia foi rapidamente adotada pela nova Palisades Interstate Park Trail Conference como seu principal projeto.

Em outubro de 1923, foi inaugurada a primeira seção da trilha, desde Bear Mountain a oeste até o Harriman State Park até Arden, Nova York. MacKaye então pediu uma conferência de dois dias apalaches que se realizará em março de 1925 em Washington, D.C. Esta reunião inspirou a formação da Appalachian Trail Conference (atualmente denominada Appalachian Trail Conservancy - ATC.

appalachian original 1930 ATC brass diamond tree markerEm 1929, um juiz aposentado chamado Arthur Perkins e seu jovem associado Myron Avery assumiram a causa. Perkins, que também era membro da Connecticut Forest and Park Association e do comitê Blue Blazed Trails, encontrou Ned Anderson, um fazendeiro em Sherman, Connecticut, que assumiu a tarefa de mapear. Ele percorreu de Dog Tail Corners em Webatuck, Estado de Nova York, que faz fronteira com Kent, em Connecticut, em Ashley Falls, 50 milhas (80 km) até Bear Mountain na fronteira de Massachusetts. (Uma parte da trilha de Connecticut desde então foi reencaminhada (1979-1983) para ser mais cênica, aderindo menos às rodovias e mais à região selvagem, e inclui uma Ponte Memorial Ned K. Anderson). Na foto, à direita, sinalizador de cobre ATC 1930 original em uma árvore em Nova Jersey.

Os esforços de Anderson ajudaram a estimular o interesse renovado na trilha, e Avery, que liderou o projeto após a morte de Perkins, conseguiu levar outros Estados ao projeto. Ao assumir o ATC, Myron Avery adotou o objetivo mais prático de construir uma trilha de caminhada simples. Ele e MacKaye entraram em confronto com a ATC a um grande desenvolvimento comercial ao longo do caminho da trilha; MacKaye deixou a organização, enquanto a Avery estava disposto a redirecionar a trilha.

appalachian atc logoAvery atuou como presidente da ATC de 1932 a 1952, quando veio a falecer. Avery tornou-se o primeiro a andar de ponta a ponta, embora não como uma caminhada contínua, em 1936. Em agosto de 1937, a trilha foi completada até Sugarloaf Mountain, no Maine, e a ATC mudou seu foco para proteger as terras da trilha e mapeando a trilha para caminhantes.

Muitos dos destaques presentes da trilha não faziam parte da trilha em 1937: Roan Mountain, Carolina do Norte e Tennessee; o Mount Rogers, incluindo Grayson Highlands, Virgínia; o pântano de Pochuck Creek, Nova Jersey; Thundering Falls, Vermont; e Saddleback Mountain, Maine. Com exceção dos lugares onde o Corpo Civil de Conservação foi trazido (principalmente no Parque Nacional Shenandoah, Great Smoky Mountains e Maine), a trilha original geralmente subiue desceu as montanhas, criando condições de caminhadas difíceis e um percurso propenso a severa erosão. As equipes de trilhas da ATC e os clubes voluntários de manutenção de trilhas mudaram ou reabilitaram quilômetros de trilha desde então.

appalachian earl shafferEm 1948, Earl Shaffer (foto à esquerda) de York, Pensilvânia, trouxe uma grande atenção ao projeto quando reivindicou a primeira caminhada de norte a sul, o primeiro a reivindicar fazê-lo em cada direção.

Em 1998, Shaffer, com quase 80 anos, percorreu a trilha, tornando-se a pessoa mais velha a reivindicar uma caminhada completa. Muitas publicações foram e são escritas sobre a trilha. Shaffer fazia notas num diário sobre suas caminhadas. 

Em 1948, ele começou a viagem do Monte. Oglethorpe, na Geórgia (o extremo sul da trilha naquele momento). appalachian earl shaffer book boots

Com equipamentos escassos que seriam considerados como insuficientes demais pela maioria dos caminhantes, desde que ele usava botas desgastadas, sua mochila do exército e nenhum fogão ou barraca - ele alcançou o Monte Katahdin no Maine, em 124 dias, caminhando uma média de 17 milhas (27 km) por dia.

Especialmente depois que ele superou o ceticismo dos oficiais da Appalachian Trail Conference (que inicialmente acreditava que sua reivindicação de completar a rota era obviamente fraudulenta), sua viagem aumentou a conscientização pública sobre a trilha.

appalachian earl shaffer trail bookEle publicou em particular suas memórias sobre a experiência. Seu livro, Walking With Spring, reflete a experiência da maioria dos caminhantes AT, que o projeto de fazer a viagem inteira na direção norte (a escolha mais comum) é promovido por um tempo de início ao tempo nas montanhas da Geórgia, e aproveitando continuamente o progresso no norte de um clima mais ameno. Na foto ao lado, seu diário de viagens.

Em 1965, Shaffer subiu em 99 dias do Maine até a Montanha de Springer, que recentemente substituiu Oglethorpe como o fim da Geórgia, tornando-se a primeira pessoa a completar uma viagem em cada direção.

A primeira mulher a completar a caminhada foi Emma Gatewood, de 67 anos de idade, que completou a caminhada em 1955, levando 146 dias, repetindo a conquista dois anos depois.

appalachian Maine completion markerNa década de 1960, a ATC avançou para proteger a trilha do desenvolvimento, graças aos esforços de políticos e funcionários. O National Trails System Act, em 1968, designou o Pacific Crest Trail e Appalachian Trail como as primeiras trilhas pitorescas nacionais e abriu o caminho para uma série de Trilhas Scenic Nacionais dentro dos sistemas de Parque Nacional e da Floresta Nacional.

Os voluntários da trilha trabalharam com o National Park Service para mapear uma rota permanente para a trilha e, em 1971, uma rota permanente havia sido marcada (embora pequenas mudanças continuem até hoje).

Embora a Trilha dos Apalaches termine na Geórgia, as Montanhas dos Apalaches continuam para o sul até Flagg Mountain, no Alabama. Em 2008, a Pinhoti National Recreation Trail, no Alabama e na Geórgia, que termina em Flagg Mountain, foi conectada ao terminal sul da Trilha dos Apalaches através do Benton MacKaye Trail.

Em 2010, a legislatura do Estado de Alabama formou a Alabama Appalachian Mountain Trail Commission para fornecer recursos estaduais para melhorias de trilhas.

No final do século 20, o National Park Service havia completado a compra de todos trechos, exceto algumas milhas do traçado da trilha.


Topografia

appalachian map mountain rangeNão existem regiões sub-alpinas entre o Monte Rogers na Virgínia e o Monte Greylock em Massachusetts, principalmente porque a trilha fica abaixo dos 3.000 m pés (9000 m) do Parque Nacional Shenandoah na Virgínia para o Monte Greylock.

O Monte Greylock, no entanto, tem uma grande região subalpina, a única floresta desse tipo em Massachusetts, que se estende até 3.000 pés (910 m), o que no sul ficaria longe do ponto de corte sub-alpino. Isto é especialmente baixo porque Greylock está exposto aos ventos predominantes no oeste, já que as cimeiras ao longo do seu ridge crescem aproximadamente de 200 a 650 pés (61 a 198 m) acima de qualquer outro pico em Massachusetts.

Mais ao norte, vários picos em Vermont alcançam a zona sub-alpina, cujo fundo desce de forma constante à medida que se avança para o norte, de modo que, nas Montanhas Brancas em New Hampshire, muitas vezes ocorre bem abaixo dos 9000 m.

No Monte Moosilauke, que cume quatro mil e quatro mil e meia (1.464 m), é atingido o primeiro ambiente alpino na trilha, onde apenas a flora esporádica esparsa é intercalada com rochas nuas.

appalachian mountain rangeEntre as duas regiões é a região de krummholz, onde crescem as árvores descontroladas com os galhos orientados para longe do vento noroeste vigente, dando assim a aparência de bandeiras (geralmente são chamados de "árvores de bandeira").

Esta região se assemelha a terras baixas a centenas de quilômetros a norte no Canadá. Também contém muitas espécies ameaçadas de extinção. A trilha foi reencaminhada sobre a Escala Presidencial de New Hampshire para que o Appalachian Mountain Club possa proteger certas plantas.

O limiar alpino é geralmente entre 4.200 e 4.800 pés (1.300 e 1.500 m). Montanhas atravessadas pela A.T. acima da série incluem Mount Moosilauke, várias milhas ao longo da Cordilheira Franconia e ao longo da Escala Presidencial. Nos presidenciais, a trilha atinge até 1.988 m (1.917 m) no Monte Washington e gasta cerca de 13 milhas (21 km) continuamente por cima da linha de treineira, no maior ambiente alpino dos Estados Unidos a leste das Montanhas Rochosas.

Os segmentos da trilha através da Pensilvânia são tão rochosos que os caminhantes se referem à região como "Rocksylvania". Essas pequenas rochas - resultado da erosão que desgastou a sujeira ao longo das trilhas - podem ser difíceis de caminhar por longos períodos de tempo sem botas com sola rígida adequada.

Em Maine, a trilha se estende para ambientes ainda mais severos, e o crescimento sub-alpino e alpino desce para elevações mais baixas. O crescimento alpino no estado varia de cerca de 2.500 pés (760 m) na faixa de Mahoosuc a menos de 1.000 pés (300 m) em partes da região selvagem de Hundred-Mile, onde quase todas as áreas acima de 300 metros (1.000 pés) é floresta perene. Além do pinheiro branco, abeto e cicuta, predominante mais ao sul, o Maine tem muitas árvores de cedro ao longo da trilha.

appalachian glastenbury mountainVista panorâmica do alto de Glastenbury Mountain, Green Mountain National Forest, Bennington, Vermont.

Maine também tem várias regiões alpinas. Além de várias áreas do Mahoosuc, os Baldpates e Old Blue no sul do Maine têm características alpinas, apesar das elevações abaixo de 1.000 m (3.000 pés). Saddleback Mountain e Mount Bigelow, mais ao norte, cada um deles se estende um pouco acima de 1.000 m, mas tem extensas áreas alpinas, sem crescimento de árvores nos cumes e vistas desobstruídas em dias claros.

appalachian Mount Katahdin topDo Monte Bigelow, a trilha se estende por 150 milhas (240 km) com apenas uma pequena área de crescimento alpino em torno de 1.100 m (300 pés) no topo da montanha White Cap.

O Monte Katahdin (foto à direita), o segundo maior ambiente alpino no leste dos Estados Unidos, tem vários quilometros quadrados de área alpina na cúpula plana de "terra de mesa", bem como as falésias e aretes que levam a ele.

A linha limite das árvores no monte Katahdin é apenas cerca de 3.500 pés (1.100 m). Essa elevação em Massachusetts dificilmente seria uma região sub-alpina, e, ao sul de Virgínia, é constituída por uma floresta de planície. Isso ilustra a mudança drástica no clima acima de 2.000 km (3.200 km).

Apesar dos ambientes alpinos bem abaixo de 5.000 pés (1.500 m) em New Hampshire e Maine, alguns lugares mais altos mais ao sul não são alpinos. Exemplos incluem Wayah Bald na Carolina do Norte 5,342 pés (1,628 m) e Clingmans Dome no Parque Nacional Great Smoky Mountains 6.643 pés (2.025 m).

appalacian relevo parcial vermontGráfico parcial de altitudes ao longo da trilha em trecho no Estado de Vermont, North Sector. Em pés e milhas.  

 

 

Estudos de Caso - Trilhas de Longo Percurso

Trilha dos Apalaches / Appalachian Trail USA

 

Para Sobre Mais sobre Trilhas